Existe vida na terra!

Existe vida na terra!

 

Existe? Em 2018 um grupo europeu, por meio de um estudo publicado na

Nature Scientific Reports (Alteration of rocks by endolithic organisms is one of

the pathways for the beginning of soils on Earth) identificou possíveis relações

entre microrganismos e o desenvolvimento dos primeiros solos da Terra.

Portanto, microrganismos que vivem dentro de rochas são chamados de

endolíticos. Em outras palavras, essas comunidades têm diferentes

composições e podem ser formadas por associações entre bactérias, fungos,

liquens e até arqueias.

No entanto, a presença desses microrganismos, de acordo com um estudo

(Epilithic and endolithic microorganisms and deterioration on stone church

facades subject to urban pollution in a sub-tropical climate) realizado em

parceria com a Universidade Federal Fluminense de Niterói, Rio de Janeiro,

pode facilitar a deposição de sulfato de cálcio, por exemplo, modificando a

estrutura física das rochas.

Além disso, outras mudanças podem acontecer por meio do intemperismo

biológico. Por exemplo, esse processo compreende um conjunto de

transformações físicas e químicas em rochas ou paisagens geológicas

causadas por organismos vivos.

Os pesquisadores identificaram possíveis relações entre a presença de

vida dentro de rochas e sua fragmentação ou mudanças na em sua

composição química. Tais transformações, podem ter gerado os primeiros

solos do planeta.

E quanto as fragmentações?

 

As fragmentações, geradas por microfraturas nas rochas, podem ter sido

causadas por biofilmes das mais diversas composições. Biofilmes são

relações entre diferentes microrganismos, os biofilmes que habitam rochas

podem tanto ser compostos por bactérias quanto por microalgas, arqueias,

fungos e liquens.

As mudanças químicas podem ser geradas por meio de reações entre os

produtos do metabolismo dos microrganismos com as rochas. A associação

em biofilme permite aos microrganismos aproveitar produtos do metabolismo

de outras espécies presentes na composição, entretanto, alguns dos produtos

podem ser tóxicos e, portanto, não são aproveitados por outros organismos.

Estes reagem com a rocha podendo alterar sua composição.

Ainda, alguns microrganismos, após sua morte, podem depositar-se nas

rochas e gerar nestas camadas de material orgânico, o que aumenta o valor

nutricional dos solos em formação.

Microrganismos estão relacionados com ao solo da terra desde sua formação

até a manutenção de sua saúde e qualidades nutricionais. Além disso, ter um

bom controle da microbiologia do solo pode auxiliar no aumento da

produtividade de plantas, por exemplo.

Quer saber mais como os cuidados com o solo por meio de microrganismos

podem auxiliar na sua plantação? Acompanhe a página da Biotecland e nossas

redes sociais!

Você sabe o que é Rizosfera?

 

A rizosfera é o ecossistema entre a raiz das plantas,

o solo os diversos microrganismos.

Em outras palavras, existem diversos microrganismos neste local,

exercer o controle biológico da rizosfera é essencial para manter a absorção. 

Portanto, mantendo a saúde do solo é essencial para garantir a qualidade

da absorção nutricional das plantas.

No entanto, as microalgas tem a capacidade de aumentar o carbono no solo,

auxiliar na manutenção do pH, melhora a interação com outros.

Por exemplo, a interação entre microrganismos do solo

e a produção vegetal é o que existe de mais moderno no mundo.

Portanto, além de garantir a sustentabilidade da sua plantação,

a saúde das suas plantas e a manutenção da qualidade do solo.

Em outras palavras, essa interação pode agregar positivamente

na produtividade da sua plantação!

No entanto, os microrganismos que podem auxiliar na produtividade

do seu cultivo são chamados de promotores de crescimento.

Essas são espécies capazes de liberar fitormônios, nutrientes mais raros,

como aminoácidos, e alguns metais essenciais para o desenvolvimento.

Esses microrganismos podem auxiliar no desenvolvimento de resistência

da planta à estresses ambientais.

Como a salinidade, a toxicidade por metais pesados

e a ausência de nutrientes.

Venha para o futuro da agrobiotecnologia com a Biotecland!

Qual a relação entre Biotecnologia e Agronomia?

 

Bio tecnologia e Agronomia: como as duas áreas se listam?

Bio tecnologia é o uso de corpos vivos ou parte deles para produzir

ou mudar um produto ou ato.

Portanto, usando de base da biologia, química,

física, matemática e informática.

Em outras palavras, a Agronomia é a área que lê clima, planta e solo e

suas interações aplicadas, visando maior uberdade com menor custo.

No entanto, essas duas ciências se unem de modo histórico pelas técnicas

de avanço genético, Engenharia Genética de sementes e de Plantas.

Essas técnicas estão juntas na Bio tecnologia verde e está alusiva o

ODS 3 (fome zero e agricultura sustentável).

A Biotecland visa atuar na maior uberdade e saúde dos cultivos.

Uma vez presentes no solo e na planta, gera maior monte de

feitos orgânicos da fotossíntese.

Isso garante maior qualidade de difusão de sementes, aumento,

alta e produtividade das plantas.

Bio tecnologia e Agronomia: como as duas áreas se listam?

Bio tecnologia é o uso de corpos vivos ou parte deles para produzir

ou mudar um produto ou ato.

Portanto, usando de base da biologia, química,

física, matemática e informática.

Em outras palavras, a Agronomia é a área que lê clima, planta e solo e

suas interações aplicadas, visando maior uberdade com menor custo.

No entanto, essas duas ciências se unem de modo histórico pelas técnicas

de avanço genético, Engenharia Genética de sementes e de Plantas.

Essas técnicas estão juntas na Bio tecnologia verde e está alusiva o

ODS 3 (fome zero e agricultura sustentável).

A Biotecland visa atuar na maior uberdade e saúde dos cultivos.

Uma vez presentes no solo e na planta, gera maior monte de

feitos orgânicos da fotossíntese.

Isso garante maior qualidade de difusão de sementes, aumento,

alta e produtividade das plantas.

Como melhorar a produtividade da sua plantação?

 

Um grupo de pesquisadores coreanos testou a produtividade da aplicação da

Chlorella em concentração de 0,4% (60 mil células por ml) em cultivos de

cebolinha (Super Greenbel) e espinafre (Spinacia oleracea cv).

Portanto, os resultados observados na cebolinha foram o aumento da

produtividade em 18% e a redução de 24% da doença causada pelo fungo

Botrytis squamosal.

Em outras palavras, no espinafre, as plantas tratadas com Chlorella obtiveram

aumento de 41% no número de folhas e aumento de

27.9% na espessura das folhas. 

No entanto, também foi observado aumento de fósforo, potássio, cálcio,

magnésio, ferro e manganês.

Por exemplo, nós fornecemos soluções ecológicas para cultivos com a

aplicação do bioestimulante de microalgas, com o intuito de melhorar a saúde

do solo, aumentar a produtividade e qualidade nutricional!

As microalgas, além de aumentarem a produtividade da plantação

podem melhorar a saúde tanto das suas plantas como do solo.

Por meio da biofertilização com o uso de microalgas, as plantas aumentam sua

área radicular e, com isso melhoram sua absorção de nutrientes, podem

aumentar sua massa seca em 66% e, até aumentar a concentração de

pigmentos fotossintéticos em suas folhas de acordo com um estudo realizado

pelo Departamento de Botânica do

Centro Nacional de Pesquisas do Cairo, Egito.

A Biotecland convida você e sua equipe a ler os artigos que referenciamos nesta publicação:

Nutritional Status and Growth of Maize Plants as Affected by Green
Microalgae as Soil Additives

Effect of Biostimulator Chlorella fusca on Improving Growth and Qualities of Chinese Chives and Spinach in Organic Farm

Saiba mais sobre o Dia da Biodiversidade!

 

Hoje, dia 22 de maio é o dia internacional da biodiversidade!

A tão conhecida biodiversidade é a maior riqueza do Brasil.

Portanto, com cerca de 8930 espécies de animais vertebrados e,

aproximadamente, 4600 espécies de plantas.

Em outras palavras, a Biotecland, por meio de sua equipe capacitada e de seus

produtos inovadores, busca melhorar a produtividade de sua plantação.

No entanto, também do seu agronegócio, para preservar a

biodiversidade por meio da saúde das plantas.

Por exemplo, utilizando microalgas para a biofertilização, de acordo com um

estudo do Departamento de Botânica do Centro de Pesquisas do Cairo, Egito.

Acima de tudo, é possível aumentar a área das raízes das suas plantas e, com

isso, aumentar a absorção de nutrientes e a reserva nutricional das plantas.

Além disso, tornando o seu cultivo mais saudável e duradouro além de

diminuir a poluição por meio da manutenção da saúde do solo!


A Biotecland convida você a nos conhecer para saber mais sobre a biofertilização por meio de Algas!

O que o preço do dólar tem a ver com a sua plantação?

Você acompanha o preço do dólar?

 

O Cepea/USP divulgou estudos que diz que uma elevação do preço

do dólar tende a apoiar o agronegócio.

Portanto, é o setor que exporta bastante e importa pouco, sendo o setor

superavitário pelo menos nos últimos 25 anos.

Em outras palavras, para o produtor rural, o dólar prezado: eleva os custos

por causa do aumento dos preços dos insumos idos.

Pois sobe a receita das exportações convertida em reais,

portanto, sabe-se que o aumento da renda supera a alta dos custos.

No entanto, segundo estudos do MAPA, calcula-se que a uberdade

agrícola aumentou 78% de 2000 a 2017, ficando a queda dos preços.

Por exemplo, o agronegócio não deve temer a estima do dólar no curto

prazo, porém, deve concentrar nos conflitos comerciais.

De maneira geral, esse setor tende a seguir crescendo mais do que outros

ramos da economia mesmo durante a pandemia.

Essa marca torna a bioeconomia uma das mais prósperas áreas

de investimento.

Bioeconomia é um modelo de obra industrial baseado no

uso de bens biológicos.

E qual é o objetivo?

 

O objetivo é advir soluções para a sustentabilidade dos sistemas de

produção com vistas à permuta de recursos fósseis e não renováveis.

No Brasil, o termo é novo, mas a ciência não,

O conceito começou a ser usual na década de 70.

Segundo dados da Organização para Cooperação e

Desenvolvimento Econômico, a bioeconomia mexe o mercado mundial.

Cerca de 10 trilhões de reais e gera cerca de 22 milhões de cargos,

além disso, os deveres do setor estão no cerne de metade dos ODS.

A vara em bioenergia, agricultura e biotecnologia faz do Brasil um

dos atores no cenário da bioeconomia em nível mundial.

Um dos rumos mais fortes hoje no País é a utilização de biomassa

integral ou residual como matéria-prima para alta.

A expectativa é reduzir a sujeição de recursos de fontes fósseis

e o impacto sobre a diversidade e o meio ambiente.

A utilização de microalgas, tida como uma biomassa brasileira

e é o que compõe o biofertilizante, que é proposta pela Biotecland!

O que são microalgas?

 

As microalgas estão sendo os bacilos

vistos em nosso planeta, na terra, na água e no ar.

Portanto, ainda podem fazer ligação com outros corpos como os fungos,

formando líquens.

Em outras palavras, esse grupo de corpos é considerado fundamental

para a constância da vida em nosso planeta.

No entanto, estão sendo sérios pela

produção de maior parte do oxigênio da aura.

Por exemplo, o estudo das microalgas pela biotecnologia

vêm demonstrado como esses microrganismos

estão sendo utilizados pelo ser humano.

Acima de tudo, para melhorar sua qualidade de vida

e aumentar a sustentabilidade de suas produções.

Além disso, esses estudos revelam que algumas espécies de microalgas

podem ter inúmeras utilidades para o ser humano.

Depois disso, produzem elevado teor de proteínas, carboidratos e ácidos graxos,

Tais compostos podem ser utilizados para a produção de biocombustíveis.

Da mesma forma, nós da Biotecland indicamos o uso das microalgas

na agricultura para o aumento da produtividade.

Em conclusão, com o fortalecimento da planta, o enriquecimento da vida no solo e a redução

dos custos com fertilizantes e defensivos químicos.

Quando vamos testar na sua produção?

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

 

Você sabe o que são os objetivos ODS?

Contidas na Agenda 2030, são um plano de ação para as pessoas,

para o planeta e para a prosperidade.

Portanto, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável são

um conjunto de 169 metas, separadas em 17 grandes objetivos.

Em outras palavras, foram pensadas pela Organização das Nações Unidas,

a ONU, em setembro de 2015, a fim de promover desenvolvimento.

No entato, é resiliente em todas as suas dimensões,

econômica, social e ambiental, para o globo.

Por exemplo, o desenvolvimento sustentável conta com a participação

colaborativa de todos os países.

Acima de tudo, são medidas ousadas e transformadoras para tornar o mundo

um lugar melhor, para a paz universal e maior liberdade, a todos.

Além disso, principalmente para a população desfavorecida,

as futuras gerações e para a natureza.

Nossa empresa tem um modelo de produção com

respeito à economia sustentável.

E uma política de incentivo diretamente ligada com os ODS,

nossa equipe é, em sua maioria, formada por jovens.

E os serviços que contratamos terceirizados são, na medida do possível,

realizados por empresas juniores.

Dessa forma, a empresa incentiva a Educação Brasileira,

assim, a Biotecland segue principalmente os ODS 2, ODS 13 e ODS 15.