ODS 13 Ação Contra a Mudança Global do Clima

Além da Agricultura Sustentável ser essencial para cumprir o ODS e alcançar o patamar de fome zero e agricultura sustentável em nível global, também é uma ação contra as mudanças climáticas.

O aquecimento global é um fenômeno que pode ter relação com atividades humanas. A emissão de poluentes por meio dessas atividades, industriais ou agrícolas, pode gerar um acúmulo na atmosfera o que intensifica o aquecimento global e gera mudanças climáticas.

Aderir à agricultura sustentável além de gerar menos custos financeiros e ambientais, como por exemplo o controle do solo, pode ser considerada uma ação contra as mudanças do clima o que, além de melhorar a qualidade de vida desta e das futuras gerações, mantém a produtividade da sua plantação ao longo dos anos e ao longo das gerações gerando o seu legado positivo para a sociedade e para o mundo.

A Biotecland, por meio da produção de biofertilizantes apoia a agricultura sustentável e os ODS, com isso, sustenta ações contra a mudança global do clima.

ODS 2 Fome Zero e Agricultura Sustentável

A Agenda 2030 é um documento redigido pela ONU com apoio de diversos países, dentre eles países desenvolvidos, países em desenvolvimento e países subdesenvolvidos, que traça um plano de ações e metas para atingir o Desenvolvimento Sustentável em escala global até o ano de 2030, inclusive através da agricultura.

Desenvolvimento Sustentável é poder alcançar as potencialidades atuais de um produto ou sistema e permitir que as gerações futuras também o façam. Assim, garantir a fome zero e a agricultura sustentável é uma forma de desenvolver a economia ao mesmo tempo que permite melhor qualidade de vida para mais pessoas, tanto para quem será contemplado com segurança alimentar quanto para trabalhadores rurais.

A agricultura sustentável é uma prática de agrícola que permite a manutenção das condições de produção, como a qualidade do solo, disponibilidade de água ao passo que garante a continuidade da sua produção ao longo do tempo. Agricultura sustentável é ter responsabilidade com o meio ambiente, com a sua produção e com as futuras gerações. É gerar impacto positivo de deixar o seu legado.

A Biotecland pode te ajudar a manter práticas sustentáveis de agricultura na sua plantação por meio da aplicação de biofertilizantes com nosso novo sistema OnFarm! Entre em contato para saber mais!

Desenvolvimento Sustentável

 

Desde a criação da empresa, nós temos falado sobre os

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Portanto, nessa série especial de temas, vamos explicar passo a passo o

que são os ODS e como a Biotecland pode ajudar a sua produção a atingi-los.

Em outras palavras, vamos expor o que é Desenvolvimento Sustentável,

a discussão sobre o termo desenvolvimento sustentável gerou uma evolução.

No entanto, passou por diversos estágios chegando a ser chamado de eco

desenvolvimento em 1972 que significa criar um estado de bem estar.

Ainda em 1968 cunhou-se o termo “Crescimento Zero” que significaria

a parada da alta econômica para preservação dos recursos naturais.

O modelo de crescimento zero e de eco desenvolvimento não se nutriram

uma vez que criam utopias à sociedade e à relação entre o homem e ambiente.

Isso sem explicar como essa relação poderia advir de forma a

possibilitar a preservação ambiental.

Nesse contexto, com o Relatório de Brundtland, surge o termo

“Desenvolvimento Sustentável”.

Dessa maneira, o desenvolvimento sustentável garante o avanço

econômico e o desenvolvimento material da sociedade.

Prezando por eludir os recursos naturais de forma que gerações futuras

também possam atingir a prosperidade econômica e material.

Seguir o Desenvolvimento Sustentável é uma forma de jurar que a sua

plantação não afete negativamente a plantação das próximas gerações.

Mas também é uma forma de jurar que no ano que vem você tenha água e

recursos suficientes para manter, ou até mesmo aumentar sua produtividade!

Gostou desse conteúdo? Quer comprar um biofertilizante alinhado com os

ODS para crescer a sua produção? Acesse biotecland.com e saiba mais!

 

Manejos agrícolas

Você já parou para pensar como a diferença em manejos agrícolas pode afetar diretamente na qualidade do seu cultivo e em sua produtividade?

Diferentes tipos de manejos agrícolas abrangem não só as malhas econômicas e níveis de especialização que se cria com base em na produção agrícola, a exemplo dos categorizados pelo trabalho brasileiro de Fernando Luís Garagorry “Tipos de especialização na Agricultura Brasileira”, como a forma de realização da atividade agrícola, por exemplo, a agricultura orgânica ou a agricultura convencional.

No estudo conduzido por AlíciaLopez no departamento de Qualidade e Garantia alimentícia de Murcia, Espanha, observou-se as diferenças obtidas na qualidade nutricional de plantas de pimenta (Capsicum annuum). A escolha pela pimenta se deu por seu prestígio cultural na Espanha e em diferentes partes do mundo.

Os resultados indicam a presença de maiores quantidades de compostos lipossolúveis em agriculturas orgânicas em comparação com agriculturas convencionais. Ainda, os maiores níveis de ácido cítrico e sacarose foram observados em manejos agrícolas tradicionais. Os demais testes não concluíram diferenças estatísticas significativas entre a agricultura tradicional e a agricultura convencional.

Outro estudo conduzido pelo pesquisador Faidon Makgos e publicado na International Journal of Food Science & Nutrition, “Organic food: nutritious food or food for thought? A review of the evidence” buscou avaliar a qualidade nutricional de plantas cultivadas em manejos de agricultura orgânica.

O grupo observou, por meio da observação da saúde de animais alimentados por alimentos orgânica em comparação com a saúde observada em animais alimentados com alimentos convencionais que a saúde e a vitalidade reprodutiva do primeiro grupo foram maiores em comparação com o segundo grupo experimental.

Ainda não há comprovação sobre o aumento da saúde e da vitalidade em humanos, entretanto, sabe-se que a utilização de fertilizantes químicos pode alterar os níveis de salinidade no solo gerando desequilíbrios, a adoção de manejos agrícolas mais sustentáveis com o uso de biofertilizantes podem aumentar a saúde do solo e das plantas.

Saiba mais sobre a saúde do solo e das plantas no nosso texto “Como cuidar da raiz das plantas”. Disponível no nosso site e nas redes sociais @Biotecland

Como cultivar cebola?

Como cultivar cebola? De acordo com um estudo realizado no Centro Avançado de Estudos em Biologia Marinha de Parangipettai, Índia, com o título Exploring the Microalgae Biofertilizer Effect on Onion Cultivation by Field Experiment, é importante evitar o excesso de fertilização porque moléculas de nitrogênio e fósforo em grande quantidade pode ser prejudicial à plantação. Durante o estudo, os pesquisadores testaram quais as fertilizações ótimas para o cultivo de cebola.

A escolha dessa variedade vegetal se deu por esta ser de grande importância em relações econômicas e exportação para diferentes países, dentre eles o Brasil.

A utilização de microalgas como biofertilizante pode ajudar a prevenir a perda de nutrientes uma vez que estas são fertilizantes de liberação lenta. Essa característica estende a vida útil de sua fertilização e exige aplicações em menores quantidades para garantir os mesmos níveis de nutrição para a plantação. Além disso, as microalgas produzem substâncias promotoras de crescimento, lipídeos, vitaminas, carotenoides, entre outros (saiba mais sobre nesse texto) o que podem melhorar a qualidade do solo e das plantas.

No cultivo das cebolas, após 75 dias e após 100 dias, foram medidas a altura das plantas, o número de folhas e a massa foliar, a massa fresca e a massa seca dos indivíduos, além disso, mediu-se também a área das folhas, o diâmetro do caule, a massa, comprimento e diâmetro da cebola.

Percebeu-se que, com a fertilização combinada de esterco bovino e microalgas (tanto a Chlorella vulgaris quanto a spirulina platensis) os indivíduos notaram um aumento de 63% na altura, 83% no número de folhas e 13% na massa seca dos indivíduos. Ao cultivar as cebolas, apresentaram um aumento de aproximadamente 41% em sua massa com a fertilização combinada de esterco bovino e microalgas

Ainda, as plantas fertilizadas com as microalgas apresentaram maiores pigmentações chegando a um aumento de 15% na concentração de clorofila a, 17% na concentração de clorofila b e de 40% nos carotenoides totais. A concentração de pigmentos pode indicar um aumento na saúde e qualidade das plantas. Além disso, a maior capacidade fotossintética pode indicar maior longevidade da plantação e maiores qualidades nutricionais ao indivíduo.

Os níveis de antinutrientes não apresentaram diferenças estatísticas entre as diferentes culturas, fora medidos oxalatos solúveis, oxalatos totais, glicosídeo cianogénico e ácido fítico.

Com isso, o estudo concluiu que a biofertilização apresenta ganhos à plantação e não apresentam diferenças estatísticas na composição de antinutrientes em comparação à fertilização tradicional. Isso aponta que, para o cultivo de cebola, por ser uma solução mais sustentável e que apresenta iguais ou melhores níveis nutricionais à plantação a utilização da biofertilização pode ser uma estratégia interessante para seu cultivo.

A Biotecland produz biofertilizantes com base em microalgas, quando podemos testar na sua plantação?

Já sabe como cultivar cebola? Siga nossas redes sociais @biotecland e nosso site www.biotecland.com para saber mais!

Simbiose com Chlorella

A simbiose é um tipo de relação entre dois organismos diferentes na qual os dois saem ganhando. Ela exerce um papel importante na natureza e para a microbiologia industrial e conhecer melhor esse tipo de interação pode significar ganhos econômicos futuros a través da exploração sustentável desse mecanismo. É a Bioeconomia auxiliando no desenvolvimento de novas técnicas de produção.

Hoje vamos falar sobre um estudo realizado por Keiji Watanabe e associados realizado na Universidade de Tsubaka no Japão com o título Symbiotic association in Chlorella culture.

A associação da Chlorella com outros microrganismos tornou mais estável a prevalência de clorofila nas culturas mesmo após 7 meses de cultura. A presença de clorofila aumenta o potencial fotossintético das microalgas o que as possibilita manter a produção e secreção das moléculas de carboidratos, lipídeos entre outros tornando o meio mais nutritivo para os microrganismos associados e estes, podem ajudar a manter a integridade das microalgas. Essa relação é positiva tanto para os microrganismos quanto para as algas e, além disso, podem garantir às plantas biofertilizadas com esse material, uma nutrição contínua mantendo sua saúde por mais tempo.

É possível perceber que as microalgas secretam algumas moléculas importantes tais como carboidratos, nitrogênio, lipídeos e vitaminas durante o processo de fotossíntese. Durante a simbiose, essas moléculas podem ser aproveitadas pelos outros organismos participantes da relação bem como algumas plantas. O aproveitamento dessas moléculas pelas plantas pode contribuir positivamente para sua saúde e desenvolvimento. Isso pode ajudar a explicar por que a biofertilização com microalgas pode ser positiva para sua plantação.

Além dessas, moléculas como a prolina e a biotina foram encontradas sendo produzidas por microalgas do gênero Chlorella. Prolina é um aminoácido de cadeia lateral cíclica o que ajuda a manter a estrutura de proteínas estável e a biotina é conhecida como vitamina B7, fazendo parte do complexo B ela atua no metabolismo de carboidratos e pode promover alguns efeitos estéticos positivos.

O estudo de Keiji Watanabe foi realizado com base na cultura de uma microalga do gênero Chlorella. A biotecland utiliza a Chlorella na composição de seus produtos também, vale a pena conferir!

Quer saber mais? Acesse nossas redes sociais @biotecland e nosso site www.biotecland.com

Existe vida na terra!

Existe vida na terra!

 

Existe? Em 2018 um grupo europeu, por meio de um estudo publicado na

Nature Scientific Reports (Alteration of rocks by endolithic organisms is one of

the pathways for the beginning of soils on Earth) identificou possíveis relações

entre microrganismos e o desenvolvimento dos primeiros solos da Terra.

Portanto, microrganismos que vivem dentro de rochas são chamados de

endolíticos. Em outras palavras, essas comunidades têm diferentes

composições e podem ser formadas por associações entre bactérias, fungos,

liquens e até arqueias.

No entanto, a presença desses microrganismos, de acordo com um estudo

(Epilithic and endolithic microorganisms and deterioration on stone church

facades subject to urban pollution in a sub-tropical climate) realizado em

parceria com a Universidade Federal Fluminense de Niterói, Rio de Janeiro,

pode facilitar a deposição de sulfato de cálcio, por exemplo, modificando a

estrutura física das rochas.

Além disso, outras mudanças podem acontecer por meio do intemperismo

biológico. Por exemplo, esse processo compreende um conjunto de

transformações físicas e químicas em rochas ou paisagens geológicas

causadas por organismos vivos.

Os pesquisadores identificaram possíveis relações entre a presença de

vida dentro de rochas e sua fragmentação ou mudanças na em sua

composição química. Tais transformações, podem ter gerado os primeiros

solos do planeta.

E quanto as fragmentações?

 

As fragmentações, geradas por microfraturas nas rochas, podem ter sido

causadas por biofilmes das mais diversas composições. Biofilmes são

relações entre diferentes microrganismos, os biofilmes que habitam rochas

podem tanto ser compostos por bactérias quanto por microalgas, arqueias,

fungos e liquens.

As mudanças químicas podem ser geradas por meio de reações entre os

produtos do metabolismo dos microrganismos com as rochas. A associação

em biofilme permite aos microrganismos aproveitar produtos do metabolismo

de outras espécies presentes na composição, entretanto, alguns dos produtos

podem ser tóxicos e, portanto, não são aproveitados por outros organismos.

Estes reagem com a rocha podendo alterar sua composição.

Ainda, alguns microrganismos, após sua morte, podem depositar-se nas

rochas e gerar nestas camadas de material orgânico, o que aumenta o valor

nutricional dos solos em formação.

Microrganismos estão relacionados com ao solo da terra desde sua formação

até a manutenção de sua saúde e qualidades nutricionais. Além disso, ter um

bom controle da microbiologia do solo pode auxiliar no aumento da

produtividade de plantas, por exemplo.

Quer saber mais como os cuidados com o solo por meio de microrganismos

podem auxiliar na sua plantação? Acompanhe a página da Biotecland e nossas

redes sociais!

Você sabe o que é Rizosfera?

 

A rizosfera é o ecossistema entre a raiz das plantas,

o solo os diversos microrganismos.

Em outras palavras, existem diversos microrganismos neste local,

exercer o controle biológico da rizosfera é essencial para manter a absorção. 

Portanto, mantendo a saúde do solo é essencial para garantir a qualidade

da absorção nutricional das plantas.

No entanto, as microalgas tem a capacidade de aumentar o carbono no solo,

auxiliar na manutenção do pH, melhora a interação com outros.

Por exemplo, a interação entre microrganismos do solo

e a produção vegetal é o que existe de mais moderno no mundo.

Portanto, além de garantir a sustentabilidade da sua plantação,

a saúde das suas plantas e a manutenção da qualidade do solo.

Em outras palavras, essa interação pode agregar positivamente

na produtividade da sua plantação!

No entanto, os microrganismos que podem auxiliar na produtividade

do seu cultivo são chamados de promotores de crescimento.

Essas são espécies capazes de liberar fitormônios, nutrientes mais raros,

como aminoácidos, e alguns metais essenciais para o desenvolvimento.

Esses microrganismos podem auxiliar no desenvolvimento de resistência

da planta à estresses ambientais.

Como a salinidade, a toxicidade por metais pesados

e a ausência de nutrientes.

Venha para o futuro da agrobiotecnologia com a Biotecland!

Qual a relação entre Biotecnologia e Agronomia?

 

Bio tecnologia e Agronomia: como as duas áreas se listam?

Bio tecnologia é o uso de corpos vivos ou parte deles para produzir

ou mudar um produto ou ato.

Portanto, usando de base da biologia, química,

física, matemática e informática.

Em outras palavras, a Agronomia é a área que lê clima, planta e solo e

suas interações aplicadas, visando maior uberdade com menor custo.

No entanto, essas duas ciências se unem de modo histórico pelas técnicas

de avanço genético, Engenharia Genética de sementes e de Plantas.

Essas técnicas estão juntas na Bio tecnologia verde e está alusiva o

ODS 3 (fome zero e agricultura sustentável).

A Biotecland visa atuar na maior uberdade e saúde dos cultivos.

Uma vez presentes no solo e na planta, gera maior monte de

feitos orgânicos da fotossíntese.

Isso garante maior qualidade de difusão de sementes, aumento,

alta e produtividade das plantas.

Bio tecnologia e Agronomia: como as duas áreas se listam?

Bio tecnologia é o uso de corpos vivos ou parte deles para produzir

ou mudar um produto ou ato.

Portanto, usando de base da biologia, química,

física, matemática e informática.

Em outras palavras, a Agronomia é a área que lê clima, planta e solo e

suas interações aplicadas, visando maior uberdade com menor custo.

No entanto, essas duas ciências se unem de modo histórico pelas técnicas

de avanço genético, Engenharia Genética de sementes e de Plantas.

Essas técnicas estão juntas na Bio tecnologia verde e está alusiva o

ODS 3 (fome zero e agricultura sustentável).

A Biotecland visa atuar na maior uberdade e saúde dos cultivos.

Uma vez presentes no solo e na planta, gera maior monte de

feitos orgânicos da fotossíntese.

Isso garante maior qualidade de difusão de sementes, aumento,

alta e produtividade das plantas.

Como melhorar a produtividade da sua plantação?

 

Um grupo de pesquisadores coreanos testou a produtividade da aplicação da

Chlorella em concentração de 0,4% (60 mil células por ml) em cultivos de

cebolinha (Super Greenbel) e espinafre (Spinacia oleracea cv).

Portanto, os resultados observados na cebolinha foram o aumento da

produtividade em 18% e a redução de 24% da doença causada pelo fungo

Botrytis squamosal.

Em outras palavras, no espinafre, as plantas tratadas com Chlorella obtiveram

aumento de 41% no número de folhas e aumento de

27.9% na espessura das folhas. 

No entanto, também foi observado aumento de fósforo, potássio, cálcio,

magnésio, ferro e manganês.

Por exemplo, nós fornecemos soluções ecológicas para cultivos com a

aplicação do bioestimulante de microalgas, com o intuito de melhorar a saúde

do solo, aumentar a produtividade e qualidade nutricional!

As microalgas, além de aumentarem a produtividade da plantação

podem melhorar a saúde tanto das suas plantas como do solo.

Por meio da biofertilização com o uso de microalgas, as plantas aumentam sua

área radicular e, com isso melhoram sua absorção de nutrientes, podem

aumentar sua massa seca em 66% e, até aumentar a concentração de

pigmentos fotossintéticos em suas folhas de acordo com um estudo realizado

pelo Departamento de Botânica do

Centro Nacional de Pesquisas do Cairo, Egito.

A Biotecland convida você e sua equipe a ler os artigos que referenciamos nesta publicação:

Nutritional Status and Growth of Maize Plants as Affected by Green
Microalgae as Soil Additives

Effect of Biostimulator Chlorella fusca on Improving Growth and Qualities of Chinese Chives and Spinach in Organic Farm